2/05/2018

Do the grown-up thing, seja lá o que isso possa significar.



Uma vez, em Dublin, estava no intervalo do trabalho conversando com uma amiga irlandesa. Como era período de Eurocopa e a Irlanda ia jogar com a França, decidimos que aquela hora de intervalo seria melhor gasta no pub ao lado, em frente à televisão.
Quando já estava quase na hora de ela voltar para trabalhar, ela deu uma golada na cerveja que havia comprado e disse "I gotta do the grown-up thing", que em uma tradução completamente literal seria "Eu tenho que fazer a coisa adulta".

Sentada ali com meu copo, fiquei pensando no que realmente significava aquela frase. Afinal, o que significa ser adulta? Sempre achei que quando fosse adulta eu teria somente certezas: a certeza da carreira certa, a certeza de tomar as decisões acertadas, a certeza de que eu teria o completo controle da minha vida. Ser adulto, na minha cabeça, era ser maduro. Era assim que eu via todos os adultos que me cercavam.



Ir para a faculdade. Arrumar um emprego. Sair de casa. Mudar de país. Tudo isso poderia ser a definição de ser adulto. Mas pode chamar de adulto mesmo quando a pessoa está no supermercado e fica 5 minutos rindo de uma cerveja chamada "Passa rola"? 
Talvez a diferença principal  seja que quando você vira adulto você tem que assumir a culpa pelas burradas que faz. Você tem que realmente fazer "the grown-up thing" e pagar suas contas em dia, substituir as bolachas e salgadinhos por vegetais e frutas (e finalmente aprender o que raios é quinoa), limpar coisas que você nunca achou que precisasse limpar (como a máquina de lavar), marcar horário no médico pra fazer aquele check-up que você tá adiando há meses. Você tem que tomas as rédeas da sua vida, sabendo ou não o o que fazer. Mas se serve de consolo, basta uma busca rápida no Google por "como ser adulto" pra você ver que não está sozinho nessa.
Mas, pra ser sincera, eu só percebi de fato que virei adulta aos olhos do mundo quando estava em uma festa infantil e duas crianças me pediram para pegar um balão para elas, acrescentando um educado "por favor, tia" no final da frase. Será que elas acham que sou madura?





SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Carol Candido. All rights reserved.
Blogger Templates by pipdig