9/02/2012

...e fuori nevica!

Ciao a tutti!

O tempo está começando a mudar por aqui. Após um verão intenso, o outuno começa a dar as caras antes de sua data oficial (iniciou ontem o outono meteorológico na Europa). Os meteorologistas dizem que o calor pode voltar, mas não intenso como antes. Por enquanto está aquele friozinho gostoso, de 18 graus.
Mas o mais importante é que finalmente chegou a chuva, depois de quase dois meses sem chover. E não foi uma chuvinha: de quinta para sexta tivemos um dilúvio em Genova, cerca de 105mm de chuva, mais ou menos 5 horas da manhã. Acordamos com a chuva forte batendo na janela, vento uivando forte, parecendo filme de terror.
Tendo em vista que o tempo começava a fechar, pensamos: e por que não procurar neve? Vimos a previsão de diversas cidades no google e encontramos uma que parecia atender nossos pedidos: Sestriere. Localizada nos Alpes, a cerca de 2035m de altura e com uma "grande" população de cerca de 850 pessoas, essa cidade é um dos points italianos no inverno, e muitos turistas (principalmente ingleses) vão para lá esquiar. É uma cidade da província de Torino, e a previsão do tempo não era muito animadora pros italianos (mas muito pra gente): chuva e neve o dia todo.
Compramos o bilhete de trem e no sábado acordamos 05h50 para nossa pequena aventura. Colocamos as roupas de frio na mala e fomos pegar o trem. Na cidade de Torino trocamos de trem e fomos até Oulx, aproveitando para colocar já as roupas adjacentes: meias, blusas, casaco e cachecol. Em Oulx, pegamos um ônibus até Cesana (Oulx e Cesana são cidades perto de Sestriere, sendo Oulx a mil metros de altura e Cesana a a 1.560 metros. A primeira tem mais de 2 mil habitantes e a segunda tem, acreditem, apenas 196), rumo a Sestriere.
Cesana

Quando chegávamos perto de Sestriere começou a chover. E de repente, a magia aconteceu. Eu estava meio sonolenta observando a chuva e de repente o Vi me olhou e disse: "OLHA, NEVE!". Olhei pra fora e vi: aquela chuva torrencial tinha se transformado em uma pequena nevasca!
Sestriere com neve!

Confesso que fiquei emocionada. Nunca tinha visto neve e, de repente, estávamos cobertos por ela.

Foi realmente sensacional! Então entramos em um restaurante para comer, porque não havíamos tomado café. O restaurante era uma gracinha, todo de madeira, com um clima bem romântico, luzes fracas, comida caseira (aquele macarrão italiano caseiro coberto de molho, que delícia!) e um garçom muito simpático que se encantou com o Vi. Ele é da Puglia, sul da Itália, e portanto não está muito acostumado com o frio também. Disse que morria de tédio ali naquele momento porque a cidade estava vazia, e de fato estava.  Lá fora, a neve ainda caía.

Depois do macarrão dividimos uma bisteca deliciosa, de carne macia e saborosa, que só de lembrar me dá vontade de novo. Acho que já expliquei aqui, mas vale a pena dizer de novo; os italianos dividem as refeições mais ou menos da seguinte forma: tem o primo piatto, geralmente massa ou um risoto, depois o secondo, geralmente uma carne (vermelha, branca, tanto faz). Aí tem o contorno, geralmente uma salada, o antipasti, que é tipo a entrada, e o doce. A ordem certa seria: antipasti, primo, secondo, contorno e dolce, mas pra comer tudo isso tem que realmente ter estômago, porque cada prato desses é bem servido.
Depois de comer fomos conhecer a cidade. Na verdade não precisa de muito tempo para conhecê-la, é bem pequena. Em 2006, a provincia de Torino recebeu os jogos olímpicos de inverno, e muitas das competições de esqui foram realizadas em  Sestriere, e eles se orgulham muito disso.
Na base está escrito: "Ho vinto le Olimpiadi!"
Quando a neve começou a virar chuva de novo resolvemos entrar numa creperia para comer um crepe de Nutella e, obviamente, estava tocando Gusttavo Lima, o hit italiano. Depois do delicioso crepe resolvemos voltar para casa. Pegamos ônibus (e acredite, descer pelas estradas sinuosas é bem pior do que subir) e trem de volta e chegamos em Genova umas 21h40, e fomos jantar. A janta obviamente seria pizza. Fomos numa pizzaria indicada por uma amiga alemã, e a dona da pizzaria nos reconheceu, perguntou de onde éramos e ficou feliz que gostamos tanto da pizza de lá (era já a quarta ou quinta vez que íamos).
Óbvio que essas mudanças todas de temperatura tem um preço, e eu fiquei com um pouco de febre, mas com certeza valeu a pena, porque jamais esquecerei que a primeira vez que toquei na neve foi numa minúscula cidade nos Alpes. Foi realmente inesquecível.

Baci!

SHARE:

2 comentários

  1. Aaaaaaaaaaaaaaai que delííciiaaa !!! Parece que vc está "narrando" um conto de fadas.. =,) que mágico !!!!

    E ref. as comidas.. acho que NUNCA poderia ir pra Itália.. A não ser que eu tivesse anorexia, bulimia, coisas desses tipo.. pq senão baby.. Voltaria BOLOTA ! ioeuhEIUOHeuiheUIOHeuiheH Aaaai como eu amo !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahahah, mas você amaria a comida daqui, Ca! É deliciosa demais!!!!

      Excluir

© Carol Candido. All rights reserved.
Blogger Templates by pipdig