5/20/2012

L'indimenticabile...

Ciao, a tutti!

A vida em Genova continua boa, como sempre. Já estava pensando em escrever aqui porque fazia muito tempo que eu não escrevia, mas o terremoto me fez tomar a iniciativa de vez. Mas falo dele daqui a pouco.

Essa sexta-feira fizemos um jantar aqui em casa para nossas amigas, uma polaca, uma alemã, uma espanhola (que também cozinhou, era o jantar espanhol-brasileiro) e uma italiana. A nossa amiga espanhola fez tortillas e croquetes, que estavam uma delícia. Nós fizemos o pf mais típico brasileiro: arroz, feijão, bife e batata-frita. E de sobremesa, brigadeiro. Foi aprovadíssimo, principalmente o feijão e o brigadeiro. Todas amaram e nós ficamos muito felizes, foi bem gostoso. 
O tempo em Genova tem variado bastante, tem dias que faz um sol absurdo e tem dias que faz mais frio. Para essa próxima semana estão prometendo uma chuva com vento absurdamente forte. 
Já já começam as minhas provas e estou com um pouco de medo, porque as provas aqui são orais, ou seja, terei que falar por uns bons minutos sobre a poesia italiana...em italiano. E italiano formalíssimo. É bem complicado mas acho que conseguirei.
Quinta-feira saímos para jantar com o pessoal da minha aula de italiano, e foi muito legal. Aqui na Itália tem um esquema que chama aperitivo: você senta, por exemplo, em um bar, e pede uma bebida qualquer (que geralmente custa uns 6,50) e tem um buffet fartíssimo e open pra você comer até se cansar. É uma das coisas que eu vou sentir falta quando voltar pro Brasil e tivemos que dividir nossas porções de batatas...hahaha.



Aperitivo em um bar (e olha que esse buffet foi fraquinho...mas tudo de graça e sim, DELICIOSO!)


Bom, vamos ao terremoto: essa noite, lá para umas 4 horas da manhã, o Vi me acordou assustado. Eu demorei pra entender o que estava acontecendo. Me sentei na cama e olhei pra frente, e vi o nosso armário da frente se mexendo, tremendo. Depois, comecei a sentir o prédio inteiro tremer. A cama tremia, a mesa tremia, o armário tremia e o prédio tremia completamente. Fiquei assustada e fomos pra janela ver. Lá fora, um silêncio. De repente, começou uma revoada de gaivotas, todas gritando ensandecidas. O Vi disse que acha que elas dormem em cima de um prédio e quando sentiram ele tremer ficaram apavoradas e saíram gritando. Foi o que mais me assustou, parecia filme de terror: aquele cenário pacato e de repente aves assustadas.
Ficamos pensando no que fazer, já pensando em sair do prédio, quando passou. Mas durou um pouco de tempo, cerca de uns 20 segundos (porque ele tinha começado já antes do Vi me acordar, ele sentiu a cama tremendo e me acordou). A garrafa de água caiu no chão e os dvds se bagunçaram todos.
Nos acalmamos e deitamos pra dormir. Aí começou de novo: a cama começou a tremer, o prédio começou a tremer...durou entre 5 e 10 segundos. Levantamos e deixamos roupa separada pra caso tivéssemos que sair de casa. Mas não aconteceu mais, ou ao menos não sentimos mais. Dormimos e quando acordamos e ligamos a TV, tivemos dimensão da tragédia: o epicentro do terremoto foi na Emília Romana, a cerca de 36km ao norte de Bologna, e ali a magnitude atingiu cerca de 6,0 na escala Richter. Prédios caíram, pessoas morreram, caos e desespero. Tudo realmente muito triste e muito novo para nós, ao menos novo enquanto sensação, visto que é a primeira vez que passamos por isso.
Até agora estão passando notícias, as notícias se dividem entre o terremoto e o atentado a bomba na escola de Brindisi, que matou uma adolescente de 16 anos.
Diz que desde 1500 não havia um terremoto assim nessa região, e as pessoas estão bem desoladas. 
Bom, é isso. Se tiver mais notícias depois eu volto aqui. 

Baci!


SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Carol Candido. All rights reserved.
Blogger Templates by pipdig